Justiça condena dois franceses após tumulto em voo da TAM



Dois brasileiros e uma francesa foram absolvidos. Os cinco foram acusados de tumultuar viagem em SP.

Carolina Iskandarian
Do G1, em São Paulo

O juiz federal Alessandro Diaferia, da 4ª Vara Federal em Guarulhos, na Grande São Paulo, condenou dois franceses por tumultuar um voo da TAM em dezembro do ano passado. De acordo com a sentença, divulgada na tarde desta terça-feira (23), outros três réus no processo – um casal de brasileiros e uma francesa – foram absolvidos.

Na sentença, Michel Ilinskas, de 61 anos, foi considerado culpado pelos crimes de atentado contra a segurança aérea e resistência totalizando 2 anos e 5 meses de prisão. As penas foram convertidas em pagamento de multa no valor total de 10 salários mínimos, além de 15 dias-multa (1/30 do salário mínimo vigente para cada dia-multa) e das custas judiciais.

Já a condenação do português naturalizado francês Antonio Francisco do Nascimento, de 63 anos, foi a 2 anos de reclusão pelo crime de atentado contra a segurança aérea, convertidos em multa no valor de 5 salários mínimos e 10 dias-multa, além das custas judiciais.

Foram absolvidos o casal Frederico Ritchie, 31, e Lucielen Cunha, 24, e a francesa Emilie Camus. Os cinco réus foram denunciados pelo Ministério Público Federal em janeiro deste ano. De acordo com o MPF, eles foram acusados de atentar contra a segurança aérea ao tentar invadir a cabine do piloto e impedir o prosseguimento da viagem, que tinha como destino Paris, no dia 6 de dezembro.

Na ocasião, a própria assessoria de imprensa da TAM informou que o avião demorou a decolar porque apresentou problemas mecânicos. Os passageiros reclamaram de a espera dentro da aeronave ter sido de quase quatro horas.

Por meio da assessoria de imprensa, a TAM informou que não falaria novamente sobre o caso e que vale ainda o primeiro pronunciamento feito no dia seguinte ao episódio. Nele, a empresa diz que, “após a manutenção, a aeronave não pôde decolar porque uma passageira decidiu desembarcar, sendo necessária a abertura do compartimento de carga e localização de sua bagagem”.

Até as 18h30, o G1 ainda não tinha conseguido contato com o advogado dos franceses.

Passaportes liberados

Desde o início do caso, os cinco acusados estavam com os passaportes retidos e não podiam deixar o Brasil. Segundo a sentença, os três absolvidos já tiveram seus passaportes liberados pela Justiça.

Já Ilinskas e Nascimento, podem “voluntariamente fazer o depósito judicial dos valores aos quais foram condenados”. Só assim, o juiz “poderá rever” a situação dos dois e “autorizar o retorno deles” ao país de origem, como diz a nota divulgada à imprensa. “A gente tira um peso das costas”, disse Abrahão nesta terça, ao comentar a decisão do juiz federal. O advogado defende Ritchie e Lucielen.

Em entrevista no dia 22 de dezembro, os três franceses negaram ter agredido qualquer comissário de bordo, mas admitiram que havia passageiros revoltados. Ilinskas foi o único a ser acusado também por resistência à prisão e desacato, crime pelo qual acabou absolvido. Ele saiu do avião algemado. A cena foi filmada e colocada no Youtube.

Fonte: PORTAL G-1, via NOTIMP



Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s